Livro: Crônicas dos Kane

Por Davi Paiva

 

Oi, pessoal. Tudo bem?

Às vezes um autor vende o livro pela sua qualidade literária. O seu estilo de escrever nos atrai ainda que um trabalho seja melhor que o outro. E o que me levou a ler a série Crônicas dos Kane de Rick Riordan (Ed. Intrínseca) é algo bem óbvio: o fato de eu ser um leitor da saga de Percy Jackson.

O autor, Richard Russell ''Rick'' Riordan, Jr.

O autor, Richard Russell ”Rick” Riordan, Jr (sempre ele!).

A aquisição dos livros foi em doses bem homeopáticas: lembro que os dois primeiros eu adquiri em trocas no centro da cidade e o terceiro foi o único que comprei em uma livraria. Todavia só fiz a leitura depois de ver que todos saíram e ter todos em mãos. Assim não precisei esperar pelas continuações nem depender de um tempo livre para comprar.

Para quem não conhece, a série Crônicas dos Kane conta a história dos irmãos Carter e Sadie, dois jovens que só se veem duas vezes por ano (o garoto é criado pelo pai, um egiptólogo que viaja muito pelo mundo enquanto a garota é criada pelos avós maternos em Londres) e graças a uma experiência mágica do pai eles vão embarcar em uma jornada pelo mundo da mitologia egípcia em cenário atual envolvendo magos, deuses e babuínos jogadores de basquete (??).

Os três livros das Crônicas dos Kane: A Pirâmide Vermelha, O Trono de Fogo e A Sombra da Serpente

Os três livros das Crônicas dos Kane: A Pirâmide Vermelha, O Trono de Fogo e A Sombra da Serpente

Vamos a um raio X dos livros:

            Livro 1 – A Pirâmide Vermelha

            Ano de publicação: 2010.

            Resumo: no primeiro volume conhecemos os personagens principais e seus aliados. Também é revelado como funcionam os seus poderes e quem será o verdadeiro inimigo.

            Avaliação: é um primeiro livro bem típico de literatura infanto juvenil e uma fórmula de Harry Potter e Percy Jackson: faça o personagem conhecer o mundo e consequentemente os leitores também conhecerão, além de apresentar um inimigo e outro ainda maior. Pode chamar de clichê, mas dá certo.

 

            Livro 2 – O Trono de Fogo

            Ano de publicação: 2011.

            Resumo: os irmãos Kane agora procuram não só comandar o 29º nomo e o aprendizado dos novos magos como também têm que lidar com a missão deles, além de outras missões pessoais (como a de Carter em busca de sua amiga/namorada que conheceu no primeiro livro, Zia Rashid).

            Avaliação: creio que nesse livro Riordan mostra que é exatamente um escritor que escreve “livros para vender (não gosto muito desse termo. Pois todo livro é feito para vender e a compra é opcional. Ninguém aponta armas para os compradores na livraria)” e sim que ele procura agradar a gregos e troianos (engraçado falar isso de um livro que apresenta mitologia egípcia) colocando em um só livro o essencial para um livro infanto juvenil para garotos (com uma aventura e um guerreiro escolhido) e também para garotas (ser o foco de um triângulo amoroso de dois personagens considerados atraentes pela garota. Estou sentindo um cheiro meio… crespuscular nessa história, se é que me entendem).

 

            Livro 3 – A Sombra da Serpente

            Ano de publicação: 2013.

            Resumo: no último livro, os irmãos Kane e seus aliados lutam para impedir o fim do mundo, além de ajudarem um deus antigo a se reerguer definitivamente.

            Avaliação: uma coisa tenho que admitir: R. Riordan sabe criar uma batalha final épica. Idas e vindas pelo Duat além de um monte de um monte de situações em que os personagens passam torna o final muito interessante. Não dá para dizer “eu esperava mais” porque tudo está ali.

 

Especial – O Filho de Sobek

Observação: não possui impresso.

Resumo: nele temos o encontro de Carter Kane com Percy Jackson (preciso dizer mais???).

Avaliação: ao ler o volume 1, o tio de Carter e Sadie diz que Nova York é o lugar de outros deuses assim como no volume 2 Carter alega ter visto um “cavalo voador” perto do Empire State e no volume 3, Sadie vai a um baile e conhece Drew, a ex-líder do chalé de Afrodite no Acampamento Meio-Sangue. Ou seja: Riordan queria deixar claro que as histórias dos Kane e de Percy se passavam no mesmo mundo. E considerando que eles vivem na mesma cidade… uma hora um encontro era inevitável. O que gostei é que tal ato teve um ligeira briga e desconfiança de ambas as partes. No fim Carter deixa uma magia na mão de Percy e diz:

“— Apenas diga meu nome — eu disse a ele, — e eu vou ouvi-lo. Eu vou saber onde você esta, e vou encontrá-lo. Mas só vai funcionar uma vez, então tome cuidado”

Creio que muitos fãs esperam por tal encontro no último livro da série Os Heróis do Olimpo, certo?

Então só nos resta aguardar…

 

Avaliação total: mais “chosen one”, impossível.

Carter e Sadie têm descendência de ambos os pais em famílias de magos antigas e poderosas e a história deles é bem semelhante à da mitologia egípcia. Logo não é a toa que eles adquirem um incrível poder que abdicam no primeiro livro. Mas sejamos francos: bem que eles fazem uso nos demais livros quando precisam…

Como eu disse, é uma obra que surpreende tanto pelo tamanho (3 volumes) quanto por criar ambientes de identificação entre meninos e meninas, assim como o entrelace que dá com a saga de Percy Jackson. Segundo o que ouço por aí tal encontro acontecerá no último livro de Heróis do Olimpo… só que não vou botar a mão no fogo. Quem leu o meu artigo sobre O Herói Perdido sabe o quanto fiquei surpreso ao ver que a saga de Percy Jackson não havia acabado.

 

Obrigado a todos(as).

Anúncios

Livro – O Herói dos Tabuleiros

Por Davi Paiva

 

Em minhas andanças pelo mundo dos livros, os que mais me fascinaram foram aqueles que tratavam de alguma disciplina ao mesmo tempo em que contam uma história. Emília no País da Gramática para língua portuguesa, O Homem Que Calculava para matemática, O Mundo de Sofia para filosofia, O Vampiro que Descobriu o Brasil para história nacional e assim por diante.

Tudo bem que em algumas escolas o ensino de xadrez não é obrigatório/levado a sério. Mas bem que podia. Uma coisas que aprendi no livro O Herói dos Tabuleiros (FTD, 2010) é que “o xadrez estimula habilidades cognitivas como atenção, concentração, raciocínio lógico, memória, organização de ideias, autocontrole, disciplina, e perseverança”. Coisas que em minha modesta opinião, faltam em muitos brasileiros.

O autor, Ricardo Criez

O autor, Ricardo Criez

A história escrita por Ricardo Criez narra a aventura de José Carlos, Zeca, campeão nacional que vai enfrentar o campeão mundial Oleg Storvov em três cidades: Moscou, Buenos Aires e Barcelona. 24 partidas que prometem exigir muito de Zeca tanto física quanto mentalmente. Para piorar ele se encontra numa situação inusitada: um agente secreto americano oferece auxílio a ele em troca de favores que mais tarde serão exigidos. O rapaz então terá que se decidir entre como vencer o campeão russo, se vai aceitar a tal ajuda e abdicar de sua reputação como jogador que sempre prezou o jogo limpo e o respeito pelo adversário.

Livro O Herói dos Tabuleiros

Livro O Herói dos Tabuleiros

Minha opinião: é um livro de quase 200 páginas classificado como infanto-juvenil que reflete muito sobre o caráter de nosso povo e de outras nações. Criez faz o leitor entender por que o povo russo é tão apaixonado por xadrez, apresenta dados que mostram como o governo brasileiro não apoia a formação de mais jogadores e como um sujeito apaixonado por um jogo tão fascinante pôde chegar até onde chegou. Um leitor pouco experiente pode até se assustar com o tamanho de páginas, contudo suas ilustrações, citações e texto bem espaçado fazem qualque um se perder em meio à trama de Zeca. De quebra, não fique surpreso se por acaso ficar com vontade de fazer coisas como desde estudar o jogo até ouvir a música de Paulinho da Viola sobre o jogo e a vida (que eu gostei muito).

 

Boa leitura, pessoal!