Livro: série Artemis Fowl

Por Davi Paiva

 

Sou um leitor da “geração Harry Potter”, que acompanhou a grande explosão da literatura fantástica infanto juvenil (infelizmente de autores internacionais em maior parte) no Brasil. E é claro que nessa longa estrada da vida eu conheci muita gente que compartilhava do meu gosto literário e que por sua vez, me indicava obras similares. E sendo uma delas o outro autor do blog, JJ Posthumus, é claro que uma hora me indicaram a leitura da série Artemis Fowl (Eoin Colfer, publicado pela Galera Record). Na época os três primeiros livros da série já estavam impressos e agora que tudo acabou confesso que foi uma longa e divertida jornada de altos e baixos com uma surpresa aqui e uma risada ali.

Eoin Colfer, a mente (ardilosa) por trás da história

Eoin Colfer, a mente (ardilosa) por trás da história

Caso você não saiba do que estou falando, aqui vai um pequeno resumo: Artemis Fowl II é um garoto de doze anos e o último descendente da família Fowl, uma lendária família de criminosos da Irlanda. Um dia o seu pai resolve largar o mundo do crime e abrir uma indústria na Rússia. A máfia não gosta e explode o seu barco, deixando ao jovem a tarefa de gastar quase toda a fortuna da família procurando o pai enquanto a mãe está abalada. Com o dinheiro quase no fim o garoto tem a ideia de repor tudo com um sequestro. Mas não com uma pessoa qualquer e sim com uma fada (?). Ou se preferir, um leprechaun e exigir o seu pote de ouro como resgate (??). O que ele não contava é que a fada/leprechaun que ele sequestrou seria nada menos do que uma integrante de LEP, a Liga da Elite da Polícia do mundo das fadas, o que equivale a uma SWAT de lá (???). Dali em diante a vida de Artemis muda radicalmente e ele se vê em meio a conflitos com não-humanos e humanos às vezes como vilão, às vezes como herói e às vezes… como ele mesmo.

Aliados vão aparecendo na história além de seu mordomo Butler, um sujeito de mais de 2m de altura que quebra mão de batedores de carteira sem olhar para eles (!!!). Assim como inimigos e como eu disse, se até uma raça subterrânea aprende a temer o personagem principal… é claro que os humanos também aprendem mais cedo ou mais tarde que Artemis não pode ser subestimado.

Minha coleção dos oito volumes.

Minha coleção dos oito volumes.

Agora vamos a uma análise dos 8 livros (sei que a série possui um especial chamado Arquivo Artemis Fowl além de uma série de graphic novels. Contudo não os tenho e nem os li até o momento em que escrevo esse artigo):

 Livro 1: Artemis Fowl – O Menino Prodígio do Crime

Ano de publicação: 2001.

Resumo: no primeiro volume conhecemos o jovem, ardiloso e brilhante Artemis bem como acompanhamos o seu mirabolante crime de sequestrar a fada/leprechaun/elfo Holly Short e todos os contra-ataques da LEP rechaçados pelo seu planejamento ou a força bruta de Butler.

Avaliação pessoal: um primeiro livro excelente. Artemis não é um “escolhido” dotado de algum poder especial nem destinado a algo esplendoroso que vá salvar o mundo das forças do mal. Aqui Artemis É o mal em um ponto de vista maniqueísta e esse volume se destaca em meio a tantas obras infanto juvenis por ter tamanho diferencial.

 

            Livro 2: Artemis Fowl – Uma Aventura no Ártico

Ano de publicação: 2002.

Resumo: Artemis conseguiu o que tanto queria: confirmar que o seu pai está vivo. Mas para tirá-lo das garras da máfia, ele terá que lidar com uma rebelião no mundo das fadas.

Avaliação pessoal: depois do impacto do primeiro livro, confesso que fiquei um pouco decepcionado com esse por ser uma obra que retrata um Artemis que é obrigado a correr, pular e fugir de seus inimigos (uma prévia do que poderá ocorrer em outras obras). O que salva o livro é a lição de moral dele, bem como as situações engraçadas e os momentos que exigem o raciocínio rápido do personagem principal. Nesse livro temos a apresentação de Opala Koboi, uma duende/diabrete que será o que Voldemort foi para o pequeno bruxo de J.K. Rowling. Só que ainda mais letal.

 

Livro 3: Artemis Fowl  – O Código Eterno

Ano de publicação: 2003.

Resumo: Artemis criou um megacomputador Cubo V. E infelizmente ele caiu nas mãos de um empresário tão criminoso quanto ele. Agora ele precisa da ajuda do Povo das Fadas para recuperá-lo antes que a existência dos Elementos de Baixo (como são chamados o povo das fadas) seja revelado (algo que o computador é capaz de fazer).

Avaliação pessoal: esse livro uniu as qualidades dos dois primeiros livros e o trabalho ficou sensacional! Artemis sofre um grande golpe. Mas sua revanche é magnífica!

 

Livro 4: Artemis Fowl – A Vingança de Opala

Ano de publicação: 2006.

Resumo: Opala não só consegue escapar do presídio como também arma um plano que envolve mortes e intrigas! Cabe a Artemis & Cia. deterem os planos dela.

Avaliação pessoal: só o fato de haver a perda de um personagem tão carismático (não vou dizer qual é) já é um grande choque para os fãs da série. Maior do que a resolução do conflito entre Artemis e Opala é como o garoto recupera a memória (ele e Butler tiveram suas lembranças apagadas pelo Povo).

 

Livro 5: Artemis Fowl – A Colônia Perdida

Ano de publicação: 2007.

Resumo: nem todas as criaturas foram para o subterrâneo. Nesse livro conhecemos os demônios que colocaram a sua ilha em um espaço atemporal quando a guerra entre os humanos e os não-humanos estava pendendo para o lado dos primeiros. Artemis nota que eles estão voltando a aparecer em nosso mundo e se lança em uma empreitada contra essas criaturas.

Avaliação pessoal: creio que o grande forte desse livro foi a inclusão de novos personagens e as mudanças que ocorrem com os que já constam na história. Não digo que ele é ruim e sim um preparativo para o que está por vir…

 

Livro 6: Artemis Fowl – O Paradoxo do Tempo

Ano de publicação: 2009.

Resumo: a mãe de Artemis está morrendo e para curá-la é necessário uma enzima produzida por uma raça de lêmures extinta pelo próprio Artemis. Para salvá-la, o garoto terá que voltar no tempo e enfrentar um oponente frio e muito calculista: ele mesmo aos 10 anos.

Avaliação pessoal: incrível! Colfer não só fez um trabalho excelente falando sobre viagens no tempo como também faz uso de todas as informações nos livros e sempre surpreendendo o leitor com planos de vilões e contra planos excelentes!

 

Livro 7: Artemis Fowl – O Complexo de Atlântida

Ano de publicação: 2011.

Resumo: Artemis manifesta sintomas do Complexo de Atlântida, uma doença causada em humanos pelo seu contato com a magia do Povo das Fadas. Ao mesmo tempo um vilão causa problemas aos Elementos de Baixo e cabe ao protagonista detê-lo… ainda que abalado psicologicamente.

Avaliação pessoal: em minha humilde opinião, achei livro o mais fraco da série toda. Tudo bem que as pessoas gostam de ver um herói se reerguer, o que quer dizer que ele precisa cair. Entretanto a queda sofrida por Artemis nesse volume é decepcionante e o desfecho um pouco desagradável.

 

Livro 8 (final): Artemis Fowl – O Último Guardião

Ano de publicação: 2013

Resumo: Artemis está de volta! Infelizmente sua grande inimiga Opala Koboi também deu o seu jeito de voltar a ativa com um plano que envolve toda a destruição da raça humana libertando as almas de antigos guerreiros élficos chamados de Furiosos e o extermínio da raça humana.

Avaliação pessoal: com o desfecho para Opala, a história acaba como sempre foi: ação, aventura, humor e estratégia. Creio que os fãs mais “xiitas” podem alegar que ela poderia continuar com novos inimigos. Mas oito volumes já está de ótimo tamanho e o tal encerramento é algo digno de Artemis.

 

Como eu disse em outro artigo, aos poucos quero deixar de lado a literatura infanto juvenil até o seu próximo boom literário e nesse meio tempo, me dedicar aos clássicos de J. Verne, A. C. Doyle e outros trabalhos de autores nacionais que não escrevam no estilo que quero me ausentar. Mas assim como em A Mão Esquerda de Deus, vejo um diferencial nessa obra de um personagem que não nasce com dos extraordinários e nem é um escolhido pelo destino ou deuses a combater o mal. Ele muda o seu caráter e amadurece ao ponto de reconhecer o que é o certo, o errado e as ações do anão Palha Escavator, personagem também bastante divertido.

 

Obrigado pela leitura e espero que gostem dos livros!

Anúncios