Final Fantasy – VII ao IX

Por Rafael Lionheart

Eis que estamos de volta com o artigo sobre Final Fantasy.

Hoje abordando a mudança dos cartuchos para os CDs.

Bom, ouvi dizer que esta mudança se deve ao fato da Nintendo insistir em se manter com cartuchos (que são difíceis de serem configurados). Então a Square quebra o contrato com eles, indo para a Sony.

FINAL FANTASY VII

Final Fantasy VII (o preferido do Davi Paiva)

Final Fantasy VII (o preferido do Davi Paiva)

O jogo utilizava o ABS, mas a inovação aqui ficou por conta das Materias (esferas mágicas que continham magia ou habilidades).

Outra inovação aqui foi o Limit Breaker. Ele tem uma barra própria, que ao encher podia se liberar o ataque. Fora que cada personagem possuía vários níveis do Limit.

Os summons também tiveram grande avanço aqui. Apesar de antes ele serem legais e poderosos, aqui eles ganharam uma animação que foi de grande influência para a serie.

FFVII da ênfase aos protagonistas, dando menos importância aos personagens secundários. Além

disso, ele trás o vilão mais renomado da saga: Sephiroth.

Sephiroth

Sephirot, vilão cuja “apelança way of life” é o sonho de consumo de qualquer jogador de RPG de mesa


Na história, Cloud Strife, um Ex-Soldier, agora mercenário, se junta aos membros da Avalanche para impedir os planos da corporação Shinra, que pretende absorver os poderes do planeta, e assim matando-o aos poucos.

Entre um confronto e outro, surge Sephiroth, um Ex-Soldier de primeira classe, que ao descobrir ser fruto de experimentos enlouquece.

Em contrapartida, temos Aeris, uma jovem vendedora de flores, que parece ser foco de algo muito maior do que todos imaginam.

FICHA TECNICA:

Lançamento Original: 31 Janeiro de 1997

Plataforma: Playstation, Windows

FINAL FANTASY VIII

Final Fantasy VIII - o preferido do Rafael Lionheart

Final Fantasy VIII – o preferido do Rafael Lionheart

A oitava versão de Final Fantasy aposta nos gráficos realistas, deixando de lado os personagens super deformados, que até então eram marcas da serie.

Cada personagem tem sua história mais bem trabalhada individualmente aqui, sendo simples e elaboradas.

O sistema teve grandes e marcantes mudanças. O MP deixou de existir, sendo que as magias precisavam ser conseguidas sempre que desejava se usar. Os Limit Breaker mudaram. O menu mudou muito, deixando fora as imagens dos personagens que apareciam só nos status.

Habia também o sistema de Junction, onde você combinava as magias para melhorar seus status, e ganhava proteção contra os elementos, ou causava o dano elemental.

O dinheiro também mudou, sendo que você não o ganhava nas lutas, mas sim um salário.

O sistema de armas também mudou. Aqui você não compra armas (que cada loja COINCIDENTEMENE vendia exatamente as armas que cada personagem precisava), e sim juntava itens para melhorar as que você já possuía.

Além disso, esse foi o primeiro FF com mini-games, como o triple triad.

Na história, Squall Lionheart é aluno de uma Garden, uma escola de soldados. Cada aluno passa por um teste de graduação para se tornar membro de elite chamado SEED.

Squall conhece Rinoa, e entre missões e outras, os dois acabam tendo um romance (tema nunca abordado até então na serie).

3999919472_0620ab9c5e

Rinoa e Squall (porque os brutos também amam)


FICHA TECNICA:

Lançamento Original: 11 Fevereiro de 1999

Plataforma: Playstation

FINAL FANTASY IX

 

Final Fantasy IX

Final Fantasy IX

Trazendo de volta antigas características dos mais antigos, como os personagens em SD, e cenário mais medieval.

Desenvolvido junto com o FFVIII quase não levou o nome de Final Fantasy.

Uma das inovações é a combinação de ataque entre Vivi e Esteiner, cujo vivi libera uma magia na espada do cavaleiro provocando um poderoso ataque magico.

O Limit Breaker deu espaço ao Trance. Era quase a mesma coisa, com a diferença que o personagem ficava com uma aura rosada, uns detalhes mudavam.

Outra inovação foi o Active Time Events, ATE. Com isso você podia ver o que acontecia com outros personagens. Algo bem interessante e meio inútil.

Final Fantasy IX apela principalmente para a platéia nostálgica, que reconhecerá diversos temas antigos da série (moogles, magia azul, magos brancos e negros, ambiente medieval, entre tantos outros).

Desta vez, o protagonista é Zidane, um ladrão de um grupo que vive numa companhia de teatro.

Ao receber a missão de capturar uma princesa, o que não é nada muito difícil, já que a própria estava tentando fugir.

Durante a trama, Zidane começa a conhecer mais do seu passado e entender o mal que esta sobre o mundo.

FICHA TECNICA:

Lançamento Original : 7 Julho de 2000

Plataforma: Playstation

Anúncios

Final Fantasy – IV ao VI

Por Rafael Lionheart

 

Voltando ao nosso querido Final Fantasy. Neste post, vamos falar sobre os FFs do super-nintendo.

 

FINAL FANTASY IV

 Final Fantasy IV - Battle

Inicialmente, o FFIV era pra ser lançando no Nintendinho, mas devido a insistências da Nintendo, ele passou para o 16bits.

A grande marca desse Final Fantasy fica por conta dos personagens mais trabalhados.

Outra mudança que se atribui é o ATB (Active Time Battle System), que é usado por quase todos FFs (e alguns outros rpgs).

Além dos chocobos, que pela primeira vez, teve mais de uma cor.

Apesar de o jogo ser bem linear. Existem varias side-quests a serem feitas.

Nesta versão, os personagens começam a ser bem mais carismáticos, e com histórias mais aprofundadas. Tendo cada um seu momento marcante. Além é claro, dos vilões, como Golbez, um dos mais odiados de toda a série.

 

Neste FF, você conhece a história de Cecil, um cavaleiro negro comandante das uma frota de Airships, que pratica muitos crimes em nome de seu reino.

Arrependido de seus erros, ele tenta redimi-los, mas para isso, precisa vencer o lado negro em sua alma e encontrar a luz.

 

FICHA TECNICA:

Lançamento Original: 19 de abril de 1991

Plataforma: Super Famicom (Super-Nitendinho)

 

 

FINAL FANTASY V

Final Fantasy V - Battle

Mais um FF que trabalha o sistema de Job, podendo trocar ao momento que quisesse (com exceção de durante as batalhas), possuindo um total de 22 jobs.

Final Fantasy V - Jobs

Aqui também nasce o Ap, para a evolução dos jobs e habilidades.

O jogador tem a chance de personalizar cada guerreiro com as perícias desejadas. O sistema foi tão apreciado que pedaços dele estão presentes nos episódios VI, VII, IX, X, XI, além de ser reproduzido na íntegra em Final Fantasy Tactics e Tactics Advance.

Com o menor elenco de personagens, o jogo tem praticamente todos eles apresentados no inicio do jogo.

Final Fantasy V também é o primeiro da serie a contar com bosses opcionais mais fortes que o ultimo.

Bartz e seu amigo Boko(um chocobo) ao presenciar a queda de um meteoro, conhecem a princesa Reina, e um velho desmemoriado chamado Galuf.

O grupo tenta descobrir por que os ventos pararam, e para isso querem ir ao templo do cristal do ar.

Em sua jornada eles conhecem Faris, o líder dos piratas, que se torna um membro da equipe.

O grupo então viaja pelo mundo, tentando salvar todos os cristais, e acabam descobrindo algo muito mais do que isso.

 

FICHA TECNICA:

Lançamento Original: 6 dezembro de 1992

Plataforma: Super Famicom(Super-Nitendinho)

 

 

FINAL FANTASY VI

Final Fantasy VI - Battle

Na minha humilde opinião, em quesito de história, simplesmente o melhor de todos.

Sem dúvida, uma das maiores e melhores tramas da Square, contando com o vilão Kefka, um dos mais amados e odiados de todos.

Cada personagem tem sua personalidade bem destacada, com suas histórias fraquezas e virtudes. Nota-se claramente a evolução de cada personagem (tanto em habilidades como em questão de caráter) durante o jogo, a medida que enfrentam seus medos, e buscam por suas respostas pessoais.

Uma curiosidade, é que o Final Fantasy VI foi o terceiro a ser lançado nos EUA, sendo nomeado como FFIII. O que gerou muita confusão depois, já que o VII foi lançando como VII mesmo, fazendo os fãs da serie se perguntarem onde estavam os IV V e VI.

Há mil anos a guerra da magia destruiu o mundo, reduzindo-o a uma terra dizimada. Após isto, a magia foi esquecida.

Agora o império esta tentando ressuscitar a magia. O imperador encontra uma garota, Terra, capaz de usar magia, e a escraviza para seus fins. Porém ele, durante uma missão, acaba sendo encontrada (sem memória) pelo grupo rebelde, os Returns.

Com a ajuda de Locke, Terra sai em busca de seu passado e na tenta encontrar suas motivações.

 

FICHA TECNICA:

Lançamento Original : 2 abril de 1994

Plataforma: Super Famicom(Super-Nitendinho).